DEZ obras para ver na exposição ‘Elles, Mulheres Artistas na Coleção do Centro Pompidou’

Exposição no CCBB do Rio traz obras de renomadas artistas que marcaram a história das mulheres na arte contemporânea

Publicado no site Saraiva Conteúdo em 19. 06. 2013

Por Carolina Cunha

Houve uma época em que as mulheres eram proibidas de estudar artes plásticas. No final do século 19, foi um escândalo quando muitas decidiram se tornar artistas.

Agora uma megaexposição no Centro Cultural Banco do Brasil do Rio de Janeiro traz ao país 120 trabalhos de 65 artistas que representam mais de 100 anos de arte feminina, de 1907 a 2010.

Elles, Mulheres Artistas na Coleção do Centro Pompidou é organizada pelo Centro Georges Pompidou, de Paris, instituição que abriga o maior acervo de arte moderna e contemporânea da Europa.

A exposição apresenta desenhos, instalações, pinturas, esculturas, fotografias e vídeos, com obras que revolucionaram os conceitos artísticos de seu tempo e ajudam a entender o fluxo de movimentos que moldaram a arte produzida hoje.

Artistas brasileiras como Letícia Parente, Anna Maria Maiolino e outras marcam presença ao lado de nomes como a mexicana Frida Kahlo, Louise Bourgeois e a performer cubana Ana Mendieta. Cada uma delas, ao seu modo, traz um olhar pessoal, misturando humor, sensualidade, ironia e provocação.

O Saraiva Conteúdo selecionou dez obras que você não pode deixar de prestar atenção.

1. LA CHAMBRE BLEUE, DE SUZANNE VALADON (1923)

A francesa Suzanne Valadon aprendeu a pintar pela observação quando ainda era uma modelo que posava para pintores. O quadro a óleo La Chambre Bleue é um autorretrato no qual ela faz uma releitura de Vênus e o Tocador de Alaúde, de Ticiano. Em sua versão, a mulher está mais forte, fuma e lê livros, hábitos considerados provocadores para a época.

2. QUADROS DE SONIA DELAUNAY (1885-1979)

O pavilhão “Torne-se uma artista” faz uma homenagem à pioneira Sonia Delaunay, radicada na França. Na época em que Picasso revolucionava o movimento cubista, sua amiga Sonia experimentava desenhos e pinturas com cores fortes e formas geométricas que influenciariam a moda e o design.

A pintora Sonia Delaunay

3. EL MARCO, DE FRIDA KAHLO (1938)

Quando Frida Kahlo esteve em Paris, ela pintou o quadro El Marco, um pequeno e colorido autorretrato da artista que lembra mais a arte naïf do que a surrealista. Pintado em uma superfície de alumínio e vidro sobreposto, o quadro foi a primeira obra de um artista mexicano do século XX adquirida pelo Louvre.

O quadro El Marco, de Frida Kahlo

4. LA TACHE ROUGE, DE LOUISE BOURGEOIS (1989)

A artista plástica francesa Louise Bourgeois (1911-2010) ficou famosa por suas esculturas, mas na mostra traz um lado pouco conhecido: uma série de desenhos que evocam o corpo feminino.

A obra La Tache Rouge, de Louise Bourgeois

5. O BICHO, DE LYGIA CLARK

A brasileira Lygia Clark (1920-1988) criou uma série de chapas metálicas e dobráveis, intitulada “Bichos”, que podem ser esculturas ou brinquedos. A artista queria que o público pudesse manusear as obras e vivenciar uma arte verdadeiramente participante.

6. PAINEL DO COLETIVO GUERRILLA GIRLS (1989)

“Só 5% dos artistas no acervo são mulheres, e 85% das mulheres retratadas nas telas estão nuas”, avisa uma frase de um pôster assinado pelo Guerrilla Girls, coletivo anônimo de artistas feministas criado em 1985. Elas são conhecidas por protestar com cartazes, outdoors e performances que usam o bom humor para questionar a falta da presença feminina no mercado da arte mundial. Em aparições públicas, estão sempre com máscaras de gorilas.

Cartaz das Guerrilla Girls, As vantagens de ser uma Artista Mulher (1989)

7. ART MUST BE BEAUTIFUL, DE MARINA ABRAMOVIC (1975)

A famosa performer Marina Abramovic aparece num vídeo no qual ela escova os longos cabelos e repete que “A Arte deve ser bonita” até ficar mais violenta e descabelada. O trabalho, que parte de um gesto tipicamente feminino, explora o conceito de “agressão passiva” para criticar os padrões de beleza na arte.

Cena do vídeo-performance Art must be beautiful, de Marina Abramovic

8. WHAT BIG MUSCLES YOU HAVE, DE BARBARA KRUGER (1986)

A norte-americana Barbara Kruger combina fotografia, palavras e técnicas da propaganda para criar obras que contestam o comportamento da sociedade e os tradicionais papeis de poder.

Obra de Barbara Kruger

9. HEARTBEAT, PROJEÇÃO DE NAN GOLDIN (2000-2001)

A norte-americana Nan Goldin (1953-) é uma das mais celebradas fotógrafas da arte contemporânea. Na mostra, traz a instalação Heartbeat, que projeta slides retratando a intimidade e o comportamento sexual de um grupo em Nova York. A trilha tem música cantada por Björk.

Cena da instalação Heartbeat, de Nan Goldin

10. RETRATOS DE VALÉRIE BELIN

Valérie Belin (1964-) é uma artista francesa que vive em Paris. A exposição traz uma série de retratos hiper-realistas de manequins que são representadas como se fossem mulheres reais.

Untitled, Valerie Belin, 2003

SERVIÇO

Elles: Mulheres Artistas na Coleção do Centre Georges Pompidou
Quando: de 24/05/2013 a 14/07/2013
Onde: Centro Cultural Banco do Brasil – Rio de Janeiro
Rua Primeiro de Março, 66 – Centro
Quanto: entrada gratuita

901 Comments

  1. There is definately a lot to learn about this subject. I like all the points you made.